Dicas

Não deixe sua Black Friday se transformar em Black Fraude

Mais uma vez o Brasil recebe a Black Friday, quando o varejo nacional – físico e online – oferece aos consumidores produtos a preços bem mais atraentes. Mas é preciso ficar alerta, já que no ano passado o evento foi apelidado de Black Fraude. O motivo? Suspeitas de que algumas lojas aumentaram os valores dos produtos pouco tempo antes do dia 28 de novembro, apenas para reduzi-los a preços próximos aos originais.

Você sabia que as empresas participantes podem aderir ao Código de Ética da Black Friday Legal 2014, se comprometendo a não maquiar preços? Sim, desde o ano passado elas recebem um selo após passar por inspeção da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico, que verifica possíveis irregularidades na loja.

Reunimos mais cinco dicas para você aproveitar os descontos sem ter dores de cabeça:

#1 – Fique atento aos seus direitos

Você tem direito ao arrependimento. Isso mesmo! Se você desistir da compra dentro do prazo de 7 dias – a partir do recebimento do produto – entre em contato com a loja virtual para efetuar a devolução. Quem arca com os custos dessa devolução é o estabelecimento, e não o consumidor. E quem deve informar sobre a desistência à administradora de cartão de crédito é também a loja virtual.

#2 – Compare preços

Evite desilusões! Antes da compra é recomendado pesquisar em sites comparadores de preços. O site Baixou é um deles. O Buscapé prometeu uma repaginada no dia 28 também com foco na data especial. O site diz que vai oferecer outras facilidades como: envio de alerta de preços, criação de lista de desejos e consulta de preços com comparação nos últimos 30 dias.

#3 – Conexão segura

Pense bem! No ato da compra você vai fornecer dados confidenciais como CPF e número do seu cartão de crédito. Por isso fique atento à segurança da sua conexão. Para saber se um site é seguro observe o Certificado SSL, geralmente posicionado no rodapé da página como um selo de segurança; ou representado por um cadeado verde na barra de endereços. Além disso, a URL do site deve sempre estar acompanhada da letra S, formando a sigla HTTPS.

Não esqueça também de manter oanti-vírus e navegadores atualizados, evitando imprevistos online.

#4 – Sites não recomendados

No site do Procon-SP você encontra uma lista de sites não recomendados para compra. Antes de comprar, não esqueça de consultá-l.

#5 – Queda do sistema

Evite fazer compras no horário de maior congestionamento, como nas primeiras horas da madrugada ou no período do almoço. Esse aumento no acesso às lojas pode provocar a queda do sistema. Para se proteger registre um “printscreen” da tela do computador, inclusive se o site sair do ar, e salve a imagem. Assim você tem a prova que a compra foi efetuada.

Fonte:  Revista Exame

Voltar à lista de Dicas